Crioterapia

Foto: Blog da Debs¹

Com o passar do tempo, muitas lesões foram descobertas e com isso muitas técnicas vieram sendo desenvolvidas tanto para a recuperação, quanto para a prevenção dessas lesões. Uma delas, muito utilizada em atletas de diversos esportes, é a crioterapia.

A crioterapia, é um procedimento muito utilizado no pós-exercício, onde o atleta faz a imersão no gelo ou água gelada, ou até mesmo através da aplicação de bolsa de gelo, tendo como finalidade fazer uma recuperação mais rápida, reduzindo as dores e os espasmos musculares, pois ela age como analgésico e anti-inflamatório. Apesar disso, a crioterapia não é indicada para todos os casos e se utilizada de maneira errada, pode causar efeito contrário, atrapalhando a recuperação e até mesmo o desempenho do atleta.

As corridas de longa duração, são as que mais exigem a utilização da crioterapia, isso porque as partes do corpo utilizadas durante a corrida, exigem uma circulação sanguínea mais intensa e “a crioterapia age justamente reduzindo o calibre destes vasos sanguíneos, fazendo com que os metabólitos oriundos das reações fisiológicas não sejam 'espalhados' por mais locais. Com isso, as células responsáveis pela regeneração muscular (satélites), podem agir de maneira mais concentrada, pois os metabólitos ficaram mais agrupados. Assim, a recuperação muscular se torna muito mais rápida”². 

Apesar disso, a crioterapia pode ser utilizada também após corridas mais curtas, desde que realizada de forma correta. A indicação é de que o gelo (ou a água) esteja em uma temperatura por volta de 10° e a sua aplicação deve ser feita por um período entre 15 e 20 minutos.

Existem ainda situações onde a sua utilização não é indicada, um dos exemplos é o caso de “realização de uma nova atividade física após um curto espaço de tempo, como em algumas competições esportivas. A imersão na água gelada prejudica a realização de uma nova atividade por diminuir rapidamente o metabolismo, a temperatura corporal, promover vasoconstrição e consequentemente diminuir a performance”³. É preciso ainda ter outros cuidados, como o local da aplicação, pois não é indicada a aplicação de gelo próximo aos órgãos genitais ou em áreas com grandes vasos ou artérias, não deve ser aplicado também em locais com ferida aberta ou em casos de lesões nervosas, por trazer uma diminuição considerável de sensibilidade.

Com tudo isso, podemos concluir que a crioterapia é capaz sim de trazer grandes benefícios na recuperação do atleta, aliviando dores e reduzindo o tempo de todo o processo de recuperação, desde que o mesmo siga sempre as orientações recebidas pelo médico, treinador ou fisioterapeuta.

__________________________
Referências:

1 - Foto - http://blogdadebs.com.br/antigo/crioterapia-na-corrida/
2 - http://www.treinomestre.com.br/crioterapia-para-corredores-efeitos-positivos-ou-negativos/ 
3 - http://globoesporte.globo.com/eu-atleta/saude/noticia/2016/03/gelo-apos-exercicio-saiba-quando-usar-crioterapia-para-rapida-recuperacao.html
http://www.suacorrida.com.br/saude/crioterapia-acelera-recuperacao-muscular/
http://corremulherada.com.br/crioterapia-preventiva-para-corredores/
https://www.saudemelhor.com/gelo-na-recuperacao-apos-o-treino-cuidado/



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Instagram